Plataforma dá transparência ao trabalho contra incêndios no Pantanal

Plataforma dá transparência ao trabalho contra incêndios no Pantanal

Compartilhe este conteúdo:

Para levar transparência e informações precisas sobre o combate aos incêndios florestais em Mato Grosso do Sul, o Governo do Estado apresentou nesta quinta-feira (27) a nova plataforma de dados sobre o monitoramento de todas as ações de campo. A apresentação foi feita pelo governador Eduardo Riedel e demais membros da equipe.

A nova plataforma faz parte do trabalho coordenado que está sendo feito no Pantanal, gerando resultados mais efetivos. Já são 90 dias da Operação Pantanal 2024, com equipes do Corpo de Bombeiros preparadas e equipadas para minimizar as condições adversas na região, sendo subsidiadas por dados e demais ações do Governo.

"Estas condições adversas que encontramos no Pantanal exigem uma atitude diferenciada. Começamos o planejamento no começo do ano, já estamos com equipes do Corpo de Bombeiros há 90 dias na região e desta vez estamos mais preparados para enfrentar os incêndios do que em 2020", afirma o governador.

Riedel ressalta que a questão climática de seca prolongada está exigindo um esforço concentrado, com uma ação coordenada que envolve monitoramento e trabalho coletivo. "Exige um esforço operacional gigantesco de homens e mulheres que estão no front. Toda temporada vai nos exigir muito, no entanto, quando temos um trabalho coordenado, se ganha eficiência".

O secretário de Meio Ambiente, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação, Jaime Verruck, destacou que o desafio é enorme, já que temos neste ano uma situação mais severa que 2020.

"O nível de biomassa é maior, a seca está prolongada, o volume de chuvas está abaixo dos últimos 10 anos, e ainda não chegamos na época crítica, entre agosto e setembro. Suspendemos qualquer tipo de queima controlada, ou seja, se houver esta ação é ilegal e vai haver a devida punição", frisa. Verruck citou ainda que houve uma evolução climática, com a queda da temperatura, que permitiu a redução dos focos no Pantanal. 

Já a diretora de Proteção Ambiental do Corpo de Bombeiros, a tenente-coronel Tatiane Inoue, disse que este monitoramento por satélite consegue identificar os focos de calor e orientar as equipes de campo para ter resultados mais efetivos, não apenas no Pantanal, como em todo Estado.

"Estamos com 13 bases avançadas no Pantanal, em um trabalho do Corpo de Bombeiros junto com o Prevfogo, ICMBio, Exército e agora vai contar com a chegada da Força Nacional. Todos estão inseridos neste sistema e com um trabalho coordenado. Devido a este monitoramento e todo nosso preparo estamos mais qualificados para combater os incêndios do que em 2020". As informações são Agência de Noticias do Governo de Mato Grosso do Sul.

Foto: Álvaro Rezende

Compartilhe este conteúdo: